Loucos por Filmes

Loucos por Filmes

Destaques

Últimas

Navegue aqui

Crítica: Os Novos Mutantes

A premissa é interessante, especialmente levando-se em conta o marketing feito em prol do filme.
Os Novos Mutantes


Depois de passar por diversas refilmagens e adiamentos (com a última prorrogação da sua estreia feita devido à pandemia do coronavírus), Os Novos Mutantes chega às telonas neste período de reabertura dos cinemas. Embora sua estreia nos EUA tenha sido em 28/08 (quando entre 60% e 70% dos cinemas norte-americanos tinham sido reabertos), seu lançamento no Brasil ocorreu na última quinta-feira (22/10). 

A trama nos apresenta cinco jovens mutantes presos numa espécie de hospital psiquiátrico sob os cuidados de uma única médica (Dr. Reyes, interpretada por Alice Braga). Enquanto tentam compreender melhor seus poderes e como controlá-los, Danielle Moonstar (Blu Hunt, de The Originals), Rahne Sinclair (Maisie Williams, de Game of Thrones), Illyana Rasputin (Anya Taylor-Joy, de Fragmentado e Vidro), Roberto da Costa (Henry Zaga, de 13 Reasons Why) e Samuel Guthrie (Charlie Heaton, de Stranger Things) lutam contra seus traumas nesse ambiente claustrofóbico.

A premissa é interessante, especialmente levando-se em conta o marketing feito em prol do filme. Porém nem mesmo o elenco de peso consegue salvar o longa de ser um grande fiasco. Os cinco jovens enclausurados (uma clara alusão ao clássico Clube dos Cinco) não têm suas personalidades e histórias desenvolvidas de forma profunda ou contundente, sendo apenas clichês pautados em estereótipos com uma pseudoevolução repentina propícia à trama. Assim fica difícil ter empatia e se envolver de verdade com personagens tão rasos.

Vendido como uma produção de terror (e não necessariamente de super-heróis), o longa dirigido por Josh Boone (A Culpa é das Estrelas) demonstra que tinha bastante potencial, mas não soube ou não conseguiu explorá-lo. A narrativa não sustenta uma densidade que se esperaria de uma história de terror, tampouco provoca medo, angústia, ansiedade ou sequer um susto. Enquanto It: A Coisa colocou crianças (em sua primeira parte) e adultos (no segundo capítulo) diante de seus piores medos de forma intensa, visceral e assustadora, Os Novos Mutantes é corrido, insosso e mal-aproveitado.

A ausência de terror nesse suposto filme de terror pode ser explicada por alguns fatores. A falta de aprofundamento nas histórias pessoais de cada personagem é um deles. O trauma que assombra cada jovem é apresentado de modo tão superficial e desinteressante que fica difícil se sentir afetado. Além disso, a partir de certo ponto, a luta contra os próprios demônios deixa de fazer sentido (se é que fazia sentido antes), quando o terceiro ato caótico se inicia. Outro fator é o corte abrupto de cenas com potencial para causar desconforto ou até certo tipo de perturbação. O caráter raso e curto de tais cenas, que poderiam ser minimamente promissoras, causa ainda mais frustração ao demonstrar uma falta de direcionamento e um desalinhamento no tom da narrativa, bem como uma inabilidade para a construção de uma trama assustadora. Podemos citar também a inexploração dos elementos-base da narrativa que poderiam ajudar a construir uma aura de horror, como a solidão, o isolamento, a claustrofobia e os sentimentos de culpa dos personagens. Se bem-aproveitados, a produção sombria prometida há três anos (quando divulgado o seu primeiro trailer) talvez não ficasse apenas na promessa.

Além dos problemas apontados, erros básicos de continuidade e edição (como atores olhando para lados diferentes em cenas sequenciais) demonstram que o esforço para o lançamento do longa no circuito de cinemas não é nada condizente com o resultado entregue. Não à toa, Os Novos Mutantes foi considerado pelo crítico Scott Mendelson como o pior de todos os filmes da franquia X-Men. No site Rotten Tomatoes, sua avaliação está abaixo da catástrofe que havia sido X-Men: Fênix Negra. 

No fim, o verdadeiro terror proporcionado pelo filme Os Novos Mutantes é o de o espectador ter saído de casa em plena pandemia para ir ao cinema assistir a um filme que não vale a pena.

Deixe sua opinião:)

Mostrar comentários 💬