Loucos por Filmes

Loucos por Filmes

Destaques

Últimas

Navegação

Crítica: Toque de Mestre

Surgindo como um sopro de ar fresco na carreira de Elijah Wood (o eterno Frodo, de "O Senhor dos Anéis"), Toque de Mestre é um filme escrito por Damien Chazelle (O Último Exorcismo: Parte 2) e dirigido pelo espanhol Eugênio Mira. Na história, Tom Selznick (Wood), um conceituado pianista que retornaria a se apresentar após cinco anos, descobre um bilhete assustador em suas partituras. A ameaça afirma que ele terá que fazer o melhor concerto de sua vida, sem um único erro, se quiser salvar a si mesmo e também sua esposa Emma (Kerry Bishé).

Toque de Mestre tem uma bela estética, com o "charme" espanhol peculiar aliado a uma forte trilha clássica de suspense, onde o jovem e promissor pianista sente o peso da responsabilidade de sua volta aos palcos e sua hesitação se agrava consideravelmente ao ser ameaçado. Mesclando elementos de filmes de suspense com o drama vivido pelo protagonista devido a sua situação, o diretor Mira reproduz uma intimidação psicológica semelhante a sofrida pelo personagem de Colin Farrell em "Por um Fio", de 2002,  com o dilema da bailarina vivida por Natalie Portman em "Cisne Negro", de 2010.

Apesar de errático e ingênuo em alguns momentos, devido a escolhas de roteiro implausíveis, se considerarmos que o projeto é de orçamento limitado e houve um grande risco em investir num filme que poderia ter ficado escondido "em meio à meio a multidão", a produção merece elogios, pois a tensão vai crescendo de forma dinâmica e o semblante fragilizado de Wood contribui para prender a atenção do espectador. A angústia e a sensação de claustrofobia do personagem fazem a narrativa fluir de forma natural até o atingimento do seu clímax, pouco antes do ato final.

Na sua intenção de entreter, Toque de Mestre foi muito feliz, ao desenvolver bem seus personagens, que não são muitos e isso facilitou o roteiro a não se perder tanto. Mesmo com as motivações do vilão (John Cusack), que alguns podem considerar banais e em nenhum momento ter aquela cena marcante que consiga chocar o espectador, Toque de Mestre oferece algumas sequências visualmente muito bem feitas e bastante satisfatórias ao embarcar na fantasia. Caso não espere aqui uma obra-prima, não irá se decepcionar, pois é entretenimento de alta qualidade.


Divulgaí

Deixe sua opinião:)